Mais de 800 casas já foram demolidas em Altamira, algumas ficaram fora do cadastro da Norte Energia e deixam as famílias isoladas (Foto: Letícia Leite-ISA)

29.06.2015 - Atualizado 29.06.2015 às 17:57 |

O ISA (Instituto Socioambiental), membro do Observatório do Clima, divulgou nesta segunda-feira (29/6), um dossiê com a síntese dos principais erros e omissões, tanto da Norte Energia como do governo federal, na condução das obrigações socioambientais relacionadas à usina hidrelétrica de Belo Monte.

O documento denuncia que temas sensíveis à região amazônica têm sido tratados com descaso. O aumento da exploração ilegal de madeira, a destruição da atividade pesqueira da região, a perda do modo de vida ribeirinho e indígena e um atropelado processo de reassentamento de populações urbanas e rurais são evidências das falhas ocorridas ao longo do processo.

As famílias que residem nas ilhas e margens do rio Xingu têm sido obrigadas a sair de suas casas e áreas produtivas sem uma nova moradia que garanta condições de vida iguais ou melhores às anteriores. Os projetos de reassentamento são distantes do rio, impedindo que essas famílias continuem a exercer sua principal atividade, a pesca.

O material também traz uma coletânea de 24 artigos escritos por especialistas, técnicos e representantes de instituições que acompanharam de perto o descompasso entre a execução da obra e a realização das ações de mitigação e compensação de impactos na região afetada.

Veja o documento na íntegra

Mudança na matriz energética

Documento divulgado pelo Observatório do Clima aponta alternativas à geração de energia no Brasil, sem a necessidade de construção de novas hidrelétricas na Amazônia, por conta dos danos sociais e ambientais de tais empreendimentos. Técnicos do OC calcularam que o Brasil pode manter o nível atual de emissões no setor elétrico em 2030 e mesmo assim mais do que dobrar o parque gerador sem recorrer a novas hidrelétricas na Amazônia. Isso poderia ser feito recorrendo a eficiência energética, energia solar distribuída e cogeração e térmicas a biomassa.

Relacionadas

Nossas iniciativas